Onion, who?

Publicado: março 15, 2014 em Textos

Somos nossos pais

Somos nossas famílias

Somos nossas sociedades

 

O mundo faz a gente.

 

Somos de fato, uma cebola

Várias camadas juntas que

quando separadas são nada

Fragmentos não identificáveis

de algo desconhecido

 

Só sei que é um ciclo infinito

 

Tenho medo

( muitos medos)

De várias coisas

Do mundo, em verdade

De mim, na verdade

Eu sou a minha vítima

Eu sou a minha própria sorte

Faço o meu azar.

 

Quem diz quem não somos ou

Quem queremos ser?

No final do dia,

( da vida)

se tirar tudo o que deles inseriram,

o que resta de nós?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s