Unknown

Publicado: abril 20, 2014 em Textos

Odeio pombos.

Ah, aversão instintiva.

Seria feliz se o maior número desses inúteis,

sumisse.

 

Sinto medo dessa pessoa que

tem ânsias de acabar com

esses seres insignificantes.

 

Quão difícil é não odiar, também, outra pessoa.

É inerentemente humano

Não por necessidade,

não pela cadeia alimentar,

pelo poder.

 

Nos matamos há muito.

 

Países nasceram de guerras;

Nações nasceram para a guerra;

Vidas se perdem pelas guerras:

dentro de nós e ao nosso redor.

 

Quanto poder você quer?

De quanto você realmente precisa?

Até onde você vai?

Aonde mora o ‘não há mais volta’?

Quais linhas são ultrapassáveis,

{ e quando chegar do outro lado, você vai querer voltar? }

 

 

“ Há em cada um de nós, até os de paixões mais moderadas, desejos verdadeiramente temíveis, selvagens e contra toda lei. E isso se evidencia claramente nos sonhos” – Sócrates, 469-399 AC.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s